31 de julho de 2015

Conferências da Juventude acontecem em agosto em várias cidades do DF




O mês de agosto será de Conferências da Juventude em várias as cidades do Distrito Federal. A secretária de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude no Distrito Federal, Jane Klébia Reis reforça que as conferências são a grande oportunidade de colocarmos ojovem como protagonista, para que ele participe da formulação e gestão das políticas. Então, é o espaço em que o jovem vem colocar seus anseios, dificuldades e necessidades da juventude.
 
A  secretária explica que essas conferências que já ocorreram no Recanto das Emas e em Sobradinho, vão reunir também as comunidades do Plano Piloto, São Sebastião, Jardim Botânico, Lago Sul, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Park Way, Cruzeiro, Octogonal e Sudoeste, no próximo dia 8 de agosto, no Centro de Ensino Elefante Branco. Ainda haverá duas conferências, uma em Ceilândia no dia 15 de agosto, em local ainda a ser definido e, no dia 29 de agosto em Taguatinga, para Estrutural, Brazlândia, Guará, Vicente Pires e Águas Claras e o local ainda não foi definido. 
 
A partir dessas conferências locais, serão tirados 200 delegados que vão participar da conferência regional e por fim da distrital que será realizada em outubro, com vistas à Conferência Nacional da Juventude, no mês de dezembro, em Brasília, reunindo jovens de todo o país.

Comente com o Facebook:

29 de julho de 2015

Jardim ABC recebe investimentos de obras de infraestrutura


O bairro Jardim ABC, na região da DF-140, tornou-se um importante vetor de crescimento no Distrito Federal. Além da chegada de dois residenciais da Damha Urbanizadora, uma das empresas líderes no setor de loteamentos fechados, são executadas diversas ações com o objetivo de revitalizar espaços urbanos próximos aos residenciais.
Encabeçadas pela Associação Bairro Sustentável (ABS), projeto criado em 2011 pela Damha Urbanizadora com a finalidade de atuar, principalmente, junto às comunidades situadas no entorno dos residenciais e nas ações de sustentabilidade, as melhorias no Jardim ABC começaram em janeiro de 2012, com um diagnóstico inicial que ajudou na identificação de oportunidades de ajudar a população local.
Desde a chegada da urbanizadora na região, em fevereiro de 2012, membros da Associação, com o apoio dos moradores da comunidade, e uma equipe de engenharia da Damha se reuniram para a definição das obras de revitalização urbana propostas pela empresa na rodovia GO-436.
“Entre as ações, estavam a pintura dos muros de duas escolas municipais, a arborização de canteiros, obras no sistema de drenagem e a correção de erosão de áreas pavimentadas”, explica Fernanda Toledo, presidente da ABS.
Michele Fernandes é moradora do Jardim ABC e sócia de um restaurante no bairro. Ela garante que as melhorias realizadas pela Damha na região têm impactado diretamente na vida dos moradores e na visão comercial do local. “As ações de benfeitoria, como a pintura e manutenção dos canteiros e jardins, e a limpeza urbana diária, têm feito com que os estabelecimentos comerciais sejam mais valorizados e tragam uma qualidade de vida melhor para a população local”, reconhece Michele.
Além das obras de infraestrutura, a ABS trabalha o âmbito da sustentabilidade por meio da nova campanha de coleta seletiva da prefeitura de Cidade Ocidental. A prática já existe em alguns bairros, e agora, irá se estender para outros 14, incluindo o Jardim ABC. A Associação, juntamente com a empresa Ambev, participará com o apoio de insumos, como equipamentos de segurança, materiais de comunicação e veículos. Outra parte da ação, inclui palestra para os cooperados da Cooperativa Esperança sobre temas como empreendedorismo e pertencimento, que está prevista para acontecer no mês de Novembro.
Atualmente, as ações da Associação Bairro Sustentável já acontecem em diversas cidades do país. Além da Cidade Ocidental, está presente em Campo Grande (MS), Araraquara (SP), São Carlos (SP), Feira de Santana (BA), João Pessoa (PB), entre outras localidades.

Comente com o Facebook:

27 de julho de 2015

Moradores do Jardim Botânico 3 improvisam sinalização com aço e madeira




Para tentar melhorar a sinalização no Jardim Botânico 3, em Brasília, moradores da região instalaram placas feitas por eles mesmos, com pedaços de madeira e chapas de aço. A comunidade também pintou número das ruas e dos conjuntos para ajudar na localização de quem não conhece o setor. O GDF informou que uma licitação do Detran para sinalização de ruas foi suspensa pelo Tribunal de Contas.

Cerca de 200 famílias moram no Jardim Botânico 3, que existe há sete anos e ainda está sendo povoado. Já há asfalto, água encanada e energia. No entanto, moradores reclamam da dificuldade de serem localizados.

“Inclusive se você chamar a polícia, ela tem dificuldade de encontrar qual é a sua residência, qual o seu endereço, onde está ocorrendo”, disse o militar da reserva Luiz Frank da Rocha.
Para indicar o caminho, alguns precisam recorrer a explicações mais improvisadas. “Quem chegar aqui em casa, eu tenho que falar: ‘Você entre e tenta achar uma igreja, nos fundos dessa igreja, vai ter um parquinho; fica aí nesse parquinho que eu vou te buscar’”, afirmou a presidente da associação de moradores do local, Tatiane Nascimento.

O problema de sinalização tem também consequências no trânsito. Uma rotatória é cenário de diversos acidentes. “O pessoal de São Sebastião, Mangueiral quer fugir do engarrafamento e aí entram aqui no bairro, andam na contramão e isso causa batidas de carro” afirmou Tatiane.

Outras dificuldades
O GDF informou haver  projeto de licitação da Terracap, a ser aprovado nesta semana, para serviços de engenharia, paisagismo, construção de gramados e de parques.

Segundo moradores, a promessa do governo é de que haveria 24 praças no local. Até o momento, só há uma, onde se acumula lixo.

O servidor Divino Silva  é quem recolhe os detritos no local. “Eu não tenho que fazer isso, mas sou obrigado a fazer. O Estado é omisso.”

“Nós temos uma área para ser parque, para a gente poder caminhar e hoje não temos. Hoje infelizmente não podemos caminhar porque a situação hoje é um depósito de lixo”, reclamou a professora Alcimar de Lima.
Seis pontos de encontro comunitários e 12 parquinhos infantis estão previstos para serem construídos, informou o governo sobre a licitação da Terracap.

O servidor público Luis Vanucci tem até três dias para apresentar o habite-se da casa dele, sob pena de multa de R$ 2 mil por mês. Ele deu entrada no documento em maio, mas a administração não deu resposta.

“Não estou entendo o porquê da dificuldade de quem quer ser regular, de quem comprou lote do governo, pagou direitinho e não ficou devendo nenhuma prestação”, disse Vanucci. “Agora estão devendo o que prometeram para a gente e não cumprem.”

Os moradores que tiverem dificuldade de conseguir o habite-se podem ligar para o (61) 3342-2013, informou o GDF.


Comente com o Facebook:

Cinco novas cidades vão surgir em Goiás

Jardim ABC, em Cidade Ocidental será um dos novos municípios a serem criados.

Em Goiás, cinco novas cidades podem surgir no mapa nos próximos meses, a maioria delas no Entorno do Distrito Federal. Os cinco distritos que pleiteiam a emancipação em Goiás são: Jardim Ingá, em Luziânia; Campos Lindos, em Cristalina; Jardim ABC, na Cidade Ocidental; Monte Alto, em Padre Bernardo; e Girassol, em Cocalzinho de Goiás.

Em Goiás, o superintendente de Relações Institucionais da Federação Goiana dos Municípios (FGM), Haroldo Naves, afirma que os novos municípios irão tirar recursos de outros já existentes. “Se fosse um projeto de lei que aumentasse a receita dos municípios existentes seria positivo. Mas esses novos municípios vão tirar recursos dos existentes, que já são poucos,” argumenta.

O projeto aprovado pelos senadores altera regras para a criação, fusão e desmembramento de municípios – que hoje somam 5.570 no país. Segundo dados da Frente Parlamentar de Apoio à Criação de Novos Municípios, a proposta deve permitir em curto prazo a formação de até 188 novos municípios que cumprem as novas regras impostas pelo Congresso, entre os que serão emancipados, desmembrados ou mesmo criados.

As Assembleias Legislativas terão ainda que aprovar as condições econômicas de subsistência do município. Serão proibidos, por exemplo, o chamado distrito dormitório, sem atividade comercial ou industrial.

Levantamento nas Assembleias dos 26 Estados demonstrou que a aprovação da propositura poderá acarretar na criação de 410 novos municípios – cada um com suas prefeituras, Câmaras Municipais e secretarias.
 
Saiba mais
Os cinco distritos que pleiteiam a emancipação em Goiás

  • Jardim Ingá, em Luziânia
  • Campos Lindos, em Cristalina
  • Jardim ABC, na Cidade Ocidental
  • Monte Alto, em Padre Bernardo
  • Girassol, em Cocalzinho de Goiás

Numa vitória do governo, o projeto manteve a proibição para a criação de municípios em áreas da União, terras indígenas e de preservação ambiental.

Comente com o Facebook:

17 de julho de 2015

Duplicação dA rodovia DF-463 e ampliação do balão da ESAF beneficiará mais de 44 mil motoristas


Intervenções em pistas que levam ao Jardim Botânico, ao Jardins Mangueiral e a São Sebastião vão melhorar o fluxo de veículos.
Duas obras de mobilidade vão melhorar a fluidez no trânsito para os mais de 44 mil motoristas que passam diariamente pelo Jardim Botânico, pelo Jardins Mangueiral e por São Sebastião. As intervenções são relevantes para as três regiões, pois, além de reduzir os engarrafamentos constantes, contribuirão para diminuir o número de acidentes.
A duplicação dos 3,9 quilômetros da DF-463 representará menos riscos aos condutores. Por ser uma pista de mão dupla, batidas frontais são comuns. Nos últimos quatro anos, de acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), 11 pessoas morreram em acidentes na rodovia. Principal saída de quem reside no Jardins Mangueiral e em São Sebastião, a pista — quando ampliada — também desafogará o tráfego, principalmente nos horários de pico. Máquinas e homens trabalham intensamente para entregar o empreendimento de R$ 6,7 milhões até outubro. Até agora, 30% das obras foram executadas.
Interferência também no Jardim Botânico, onde o governo amplia de duas para três o número de faixas do balão da Esaf. Paralelamente, uma pista foi aberta a fim de desafogar o tráfego para os condutores que saem de condomínios como Jardins do Lago, Solar Brasília e Belvedere Green. O balão da Esaf é o entroncamento da DF-035 com a DF-001.
O alargamento da rotatória é feito com a restauração do asfalto dos 4 quilômetros da DF-035, que vai até a QI 23 do Lago Sul. O complexo de melhorias tem custo estimado em R$ 3,6 milhões. A substituição no pavimento da rodovia já foi terminada. Agora, os operários trabalham para finalizar a colocação de meios-fios e a sinalização horizontal.
Reinvindicação antiga
O diretor-geral do DER, Henrique Luduvice, diz que as obras atendem a uma antiga reinvindicação dos moradores das três regiões. “São intervenções em pontos críticos que criarão melhores condições de tráfego, além de oferecer uma maior segurança viária”, afirma.

Luduvice ainda reforçou que as mudanças na DF-033 não melhoram apenas a vida dos motoristas, mas a dos usuários de transporte público. “Estamos criando baias para coletivos, o que vai assegurar o embarque e desembarque sem riscos dos passageiros de ônibus.”

Fonte:Agência Brasilia

Comente com o Facebook:

14 de julho de 2015

Empresa global busca parcerias locais para desenvolver regiões do DF .



Engana-se quem pensa que Brasília não tem mais para onde crescer. Apesar de não poder progredir verticalmente na área central por causa do tombamento, as regiões próximas demonstram potencial de desenvolvimento econômico e social.

Para esse potencial prosperar, as empresas locais Gomes Figueiredo Arquitetura Urbanismo e Consultoria e Compensar Participações se uniram à global VOA Arquitetura e Desenvolvimento Urbano (empresa americana de design arquitetônico mundial). A ideia é construir um complexo com hospitais, escolas, shopping, prédios, casas, hotéis e comércio na região da DF-140, próximo ao Jardim Botânico, condomínios do Lago Sul, São Sebastião e Jardins Mangueiral. 

Início em 2012
O projeto, que começa a ganhar contornos mais palpáveis, teve início em 2012, em reuniões de arquitetos e empresários em Orlando, sede da VOA. O local na DF- 140 para projetos de desenvolvimento econômico foi aprovado pelo Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), que prevê a destinação da área, que não é mais de classificação rural, para abrigar o novo polo de desenvolvimento, desinchando a parte sul da cidade (mais para o lado do Gama e Taguatinga, Ceilândia e Samambaia). 

Benfeitorias
Grande parte da região de mais de 2 milhões de metros quadrados é de proprietários particulares, que, se tiverem interesse, poderão entrar como investidores nos novos empreendimentos locais. 
“É um negócio bom para todo mundo”, explica o vice-presidente da VOA para a América Latina, o engenheiro civil Miguel Kaled. Ele afirma que a intenção é que as ações gerem mais circulação de dinheiro para a região, com benfeitorias para quem vive nas proximidades, que carece de opções de lazer e entretenimento, além de serviços de qualidade.

Complexo prevê união dos esforços
O complexo vai comportar cerca de 900 mil pessoas. A projeção leva em conta o crescimento ao longo dos próximos 20 ou 30 anos. “Vamos prestigiar o proprietário da terra e o empresário local, além de incluir empresas internacionais, com soluções simples e eficientes para problemas profundos, com todo o conhecimento na área de design e expertise no ramo”, explica Alessandro Machado, da Compensar.
A previsão do grupo é que as obras comecem nos próximos três anos. “Eles estão vindo com a ideia, o design e a experiência, e nós vamos trazer o parceiro local dono da terra para implantar os empreendimentos”, destaca Karla Figueiredo, da Gomes Figueiredo Arquitetura e Urbanismo.

Deslocamentos
“Desenvolvimento urbano quer dizer novas moradias. E, antes dessas moradias, emprego. E escolas, supermercados, lojas, hospitais, divertimento. Ou seja, criar outro núcleo, fora do Plano Piloto, que é tombado e não permite crescimento vertical, como ocorre em outros lugares”, explica Miguel Kaled. As características locais, como a alta renda per capita, permitem, por exemplo, esses deslocamentos, segundo o especialista.

A atual crise econômica brasileira não assusta o grupo. “Nesses momentos, você se esforça mais para chegar a um resultado melhor. Tudo que é imobiliário demora. Então, você tem que pensar para frente”, complementa Kaled. Ele destaca que Brasília é alvo de estudos científicos nos Estados Unidos por suas características peculiares de urbanismo e sociedade.

Comente com o Facebook:

3 de julho de 2015

Confusão no ônibus 180.1

Segundo informações do usuário que postou o vídeo no Grupo Oficial São Sebastião uma fechada entre o ônibus e um carro foi o  motivo para a confusão. No vídeo é possível ver claramente um jovem e o suposto motorista do ônibus em posição de luta.

Os passageiros em euforia começaram a xingar, gritar a medida que a briga começa, pois a porta do ônibus estava fechada. No vídeo é possível ver claramente agentes do DETRAN que nada fazem para impedir a briga.

Em outro momento já vemos o jovem dentro do carro, a medida que os passageiro com raiva pela atitude vão para cima do carro, xingando e questionando o ato. Em seguida uma jovem, sai do lado do passageiro do carro e vai em direção aos passageiros do ônibus, quando começa uma outra confusão.

Veja no vídeo abaixo:

video

Comente com o Facebook:

25 de junho de 2015

Casa de Parto São Sebastião só receberá grávidas da cidade e do Paranoá

Foto: Kleber Lima/Jornal de Brasília


Em meio às discussões sobre a necessidade de humanização do parto, as gestantes do DF foram surpreendidas com uma notícia: a Secretaria de Saúde restringiu os atendimentos na Casa de Parto de São Sebastião. Agora, apenas grávidas da região e do Paranoá terão o direito de conceber seus filhos na unidade. De acordo com a pasta, a decisão foi tomada após problemas enfrentados pela rede, entre eles a superlotação. Por isso, destacou, “a direção do Hospital Regional do Paranoá decidiu pelo não recebimento de pacientes que fizeram acompanhamento em outra regional”. 

A iniciativa de São Sebastião é a única do Centro-Oeste. Ainda segundo a pasta, não há qualquer intenção, no momento, de expandir unidades como a casa de parto. Por mês, o local costumava fazer, aproximadamente, 35 partos.  Quem já teve filhos no ambiente assegura que a restrição vai prejudicar o nascimento de muitas crianças. “Poderiam restringir o atendimento, mas pensando em expandir mais locais assim. De fato, o lugar oferece uma experiência diferente. Não é como um hospital. O bebê e a mãe ficam em contato o tempo todo. Acho que uma atitude como essas priva outras mães e crianças de terem um parto melhor”, opina a estudante Débora dos Santos, 21 anos. 

O pequeno Davi Lucca nasceu no dia 31 de Janeiro do ano passado. Segundo Débora, a experiência de tê-lo na Casa de Parto foi a melhor escolha. “Não me arrependo de nada. Eu nem sabia antes da existência do lugar. Fui procurar por indicação da minha cunhada, que faz faculdade de Enfermagem. Quando conhecemos o espaço, uma enfermeira nos recebeu. Ela nos apresentou tudo. E eu saí de lá muito feliz e tranquila, com a certeza de que queria ter meu filho lá”, lembra a jovem, moradora do Gama. 

Diferenças
Em um hospital normal, a estudante teria Davi Lucca, provavelmente, em uma maca. Na Casa de Parto, conta, o menino nasceu na água, dentro de uma banheira, com o pai abraçando mãe e filho. “Eu tinha planejado um parto na água. Para minha sorte, quando cheguei ao local, tinha uma grávida na minha frente, mas ela não tinha dilatação e foi transferida para um hospital normal. Nesse momento, a enfermeira me chamou e começamos todo o trabalho. Ela me orientava sobre as posições. Ao final das contrações, eu entrei na banheira, e meu marido entrou comigo”, ressalta a mãe, lembrando que o pequeno nasceu com 3,6 quilos e 50 centímetros.

Experiência diferente
As lembranças de Débora em nada se parecem com as da dona de casa Isabel Alcântara, 41 anos. No dia 6 deste mês, ela começou a sentir contrações. No entanto, por ser diabética, foi impedida de ter a quarta filha na Casa de Parto, onde fez todo o seu pré-natal. “Fui avisada de que, por ter diabetes, seria muito arriscado fazer o parto aqui. Então, me encaminharam para o Hospital do Paranoá. Lá foi tudo bem diferente do que eu imaginava. Tanto que tive de retirar o útero em uma cirurgia feita às pressas devido às complicações”, relata. 

Devido aos problemas na hora do parto, Isabel ficou com o braço esquerdo roxo. Ela ainda não sabe direito o que aconteceu. “Ficaram induzindo o parto com remédios toda hora. Eu até pedi para fazer cesárea, porque não aguentava mais. Mas, não deixaram”, lembra a dona de casa. “Quando ela nasceu, por volta das 17h30, só lembro de terem comentado que eu estava machucada. Perdi dois litros de sangue”.
“Tive um tratamento diferenciado na Casa de Parto o tempo todo. O médico sempre foi muito atencioso. Infelizmente, não pude ter aqui. Agora, fico com o trauma de ter feito em um hospital normal”, desabafa.
Fonte: Da redação do Jornal de Brasília



Comente com o Facebook:

Parabéns São Sebastião: 22 anos como região administrativa





Abrigando 130 mil moradores do Distrito Federal, a região administrativa de São Sebastião completa 22 anos nesta quinta-feira (25). A ocupação da área começou antes mesmo do nascimento de Brasília, quando olarias se instalaram no local para suprir a demanda da construção civil por materiais. As terras foram arrendadas posteriormente pela Fundação Zoobotânica.

Com a desativação das olarias, a região acabou se estruturando ao longo do córrego Mata Grande e ribeirão Santo Antônio da Papuda. O complexo penitenciário do DF fica situação na região.
De acordo com a administração regional, o nome São Sebastião foi escolhido em homenagem a um dos primeiros comerciantes da área. Ele se instalou nas terras desapropriadas da fazenda Taboquinha e retirava areia ao longo do rio São Bartolomeu. O material era vendido para as construtoras da Novacap. Por causa da atividade, o pioneiro ficou conhecido como "Tião Areia".

A região tem 12 bairros, e o mais recente deles é o Jardins Mangueiral. Outros setores que compõem São Sebastião são Setor Tradicional, Centro, João Cândido, Morro do Preá, São Bartolomeu, Vila Nova, Vila do Boa, São José, Nova Betânia, Bela Vista, São Francisco, Bonsucesso e Residencial Oeste. Dois outros precisam ser criados oficialmente, embora já existam na prática: Residencial Vitória e o Morro da Cruz.
Também segundo a administração, 47% da população é formada por jovens com menos de 20 anos. A comemoração inclui um desfile cívico-estudantil às 9h, apresentação de um coral de idosos seguida do corte do tradicional bolo de aniversário às 11h30 e show gospel no Parque de Exposições a partir das 18h.

Comente com o Facebook:

22 de junho de 2015

São Sebastião comemora seu 22º aniversário.



A manhã de quinta-feira (25) começará diferente para os moradores de São Sebastião. Às 9 horas, um desfile cívico-estudantil sairá da feira permanente e terminará no estacionamento do Centro de Atenção à Criança e ao Adolescente (Caic). O evento marca o início das comemorações dos 22 anos da região, celebrados no dia 25. Serão quatro dias de festa promovida pela administração regional. Ainda na quinta-feira, de volta ao estacionamento do Caic, após o desfile, haverá apresentação de um coral de idosos e o corte do tradicional bolo de aniversário. A partir das 18 horas, o Parque de Exposições será palco de um show gospel.

Na sexta-feira (26), a partir das 9 horas, ocorrerá uma Ação Global, projeto da Rede Globo e do Serviço Social da Indústria (Sesi) que oferece serviços de corte de cabelo, brinquedoteca, escovação de dentes e emissão de carteira de trabalho pela Secretaria do Trabalho e do Empreendedorismo. Às 18 horas, haverá shows com artistas locais, como Imagem de Rua, Banda Forró Rasgado e Menina, que se apresentarão gratuitamente. No sábado (27) pela manhã, a ação se repete. No fim do dia, às 18 horas, a Igreja Católica promoverá o ato Abrace o Morro da Cruz, uma mobilização em favor do bairro de mesmo nome, muito visado por invasões nos últimos tempos.

As festividades continuam até domingo (28), quando se encerram com apresentações — sem custo para o governo — de bandas de diversos gêneros musicais, como forró, sertanejo, rap, reggae e funk, a partir das 19 horas, também no Parque de Exposições. A programação dos eventos foi possível graças a parcerias estabelecidas entre a administração regional e empresários locais.

História
São Sebastião começou a ser ocupada em 1957 quando várias olarias — fábricas de tijolos e telhas — instalaram-se para suprir parte da demanda de materiais para construir a capital federal. À medida que os contratos iam sendo concluídos, as olarias eram desativadas, mas os moradores permaneceram. A população cresceu, e o local recebeu o nome de Agrovila São Sebastião. Em 25 de junho de 1993, tornou-se região administrativa.

A região fica a cerca de 22 quilômetros da Rodoviária do Plano Piloto, para quem segue pela Ponte JK, no Lago Sul.


Fonte: Agência Brasília, com informações da Administração Regional de São Sebastião

Comente com o Facebook: