Moradores de São Sebastião estão preocupados com as nascentes

São Sebastião é uma cidade famosa pela quantidade de nascentes que possui. Só que os próprios moradores estão descuidando dessa riqueza natural. Maria Limpa fez questão de conferir de perto!

Os moradores mais conscientes de São Sebastião chamaram a Maria Limpa para uma visita na cidade. Estão preocupados com o futuro das nascentes. Muitas pessoas estão cada vez mais deixando lixo e sujeira. E como se não bastasse, ainda põe fogo no mato em volta.

No bairro Morro Azul, em São Sebastião, a cor do córrego não tem mais nada de azul! É muita sujeira. E dando uma volta pelo bairro, Maria Limpa pode testemunhar onde realmente o lixo começa: na consciência de cada um. Ou seja, nos péssimos hábitos dos moradores.

“Maria Limpa, eu gostaria muito que esta nascente voltasse a ser útil para a nossa comunidade. Do mesmo jeito que era no passado, quando a gente a usava para todos os serviços da nossa casa. Mas agora não tem como utilizá-la por causa da sujeira”, diz uma moradora.

Com as autoridades problema resolvido. Maria Limpa chamou e a limpeza foi feita. E no Bom Dia DF desta quinta-feira, dia 23, foi feito um anúncio. “O administrador de São Sebastião já entrou em contato solicitando a nossa presença, e o Instituto Brasília Ambiental (IBRAM) vai fazer essa parceria, cadastrando as nascentes. E ainda vamos tentar fazer uma parceria com a comunidade em prol da recuperação dessas áreas”, afirma a coordenadora do Adote uma Nascente do IBRAM Vandete Inês Maldaner.

Mas não adianta só um lado se mexer. É preciso a dedicação de todos, com atitudes, a favor do meio ambiente, com a ajuda da própria consciência!

Falando nisso... 
Um pouco abaixo da nascente que acabamos de mostrar existe outra que foi adotada por uma moradora do bairro Morro Azul. É que a região é rica em nascentes. São Sebastião contribui com 15% do abastecimento de água de poços artesianos do DF. “Quando eu cheguei, a nascente era toda suja, Maria Limpa. Mas resolvi cuidar dela, em razão da importância da água, do valor dessa nascente para esta comunidade. Tinha vários tipos de doenças, mas estou tentando recuperá-la. Dessa nascente pequena, estou construindo vários lagos”, conta a dona de casa Conceição de Santana.

Conceição começou o trabalho de limpeza há dois meses. “Eu consegui retirar daqui vários caminhões de lixos, como cama, colchões, vasos sanitários, panelas, sapatos e muitos outros”, diz. “A nascente servia para aglomerar ratos e sujeira. Mas, graças a nossa amiga, a moradora Conceição teve coragem. Eu não tenho a coragem que ela tem”, afirma a vendedora Maria Edite de Araújo.

Mas para ter coragem não precisa muito. Conceição misturou sensibilidade e amor à natureza. “Hoje a água corre facilmente. Maria Limpa, aqui eu capinei e plantei o meu jardim. E quero fazer muito mais para ficar um lugar bonito e agradável”, comemora Conceição de Santana. “Eu tiro o chapéu para ela, que é uma guerreira. Ela fez isso aqui, posso até dizer que tudo sozinha”, revela Maria Edite. É, mas ela não quer continuar sozinha. Conceição quer a ajuda de quem mora longe. “Preciso de mudas de plantas e quero pedir doações de plantas para que quem queira doar”.

E também quer a ajuda de quem está ali por perto. “Maria Limpa espero que esse meu trabalho sirva de exemplo para outras pessoas. Cuidar do meio ambiente e da água, já que ela é muito importante para todos nós”, enfatiza a dona de casa.

Serviço: 
Como a Conceição, você pode adotar uma nascente. É só ligar para o Instituto Brasília Ambiental (IBRAM), no telefone: 3321-3472.


Tecnologia do Blogger.