Bebê abandonado por mãe em lanchonete está sob custódia do Estado


Um bebê de 11 meses foi deixado pela mãe, por volta das 16h30 de quinta-feira (8/12), com um cliente de uma lanchonete no centro de São Sebastião. O homem ficou por cerca de seis horas com a criança do sexo masculino, até que a polícia fosse acionada. O bebê foi internado no Hospital Regional da Asa Sul (HRAS) por volta das 3h desta sexta-feira (9/12) e mais tarde recebeu a visita do serviço social. Segundo a diretoria do hospital, o menino já está sob custódia do Estado, tendo sido encaminhado ao juiz.

De acordo com o histórico recolhido pela equipe médica, o pequeno já havia sido abandonado em outro momento e a mãe seria usuária de drogas. Segundo a polícia, Josenei Pereira, 32 anos, estava lanchando quando foi abordado por uma mulher que pediu dinheiro. Josenei teria aceitado ficar com a criança enquanto ela ia ao mercado comprar leite para o filho, próximo ao estabelecimento. Como ela não apareceu, ele resolveu ligar para a polícia às 22h30.

Segundo testemunhas, a mulher teria retornado à lanchonete na manhã desta sexta-feira, mas se assustou quando soube sobre a busca iniciada pela polícia e sumiu de novo. Ela ainda não foi localizada pela polícia.

De acordo com o sargento Josenei Pereira, do 21º Batalhão da Polícia Militar, após o chamado, o menino passou outras 4h dentro da viatura, acompanhado por Josenei. "Ficamos procurando um lugar para ele ficar. Tentamos registrar ocorrência na delegacia, mas de início o agente estava reticente e não quis fazer. Depois de um tempo resolveram fazer, mas não quiseram receber o menino", explicou. "Como não havia mais expediente de plantão, partimos para uma maratona atrás de um conselho tutelar que pudesse resolver a questão", contou.

Após buscar locais que pudessem aceitar a criança, a equipe do 21º Batalhão da PM conseguiu entrar em contato com um médico no HRAS. Mas ele também teve receio de que ficando lá, o menino, que estava saudável, fosse exposto a doenças. No entanto, sem ter alternativa, a médica pediatra Maria Enoi Coelho Ferreira dos Santos ficou comovida com a situação e decidiu conceder abrigo ao bebê na unidade. "Os policiais militares procuraram várias entidades do governo e até por uma questão de princípios decidimos acolhê-lo", destacou. 

Apesar disso, a médica afirmou que é uma criança muito sociável e afetiva. Ela disse que ele ficou em um berço perto dos funcionários da enfermagem e ganhou brinquedos da Secretaria Social da unidade de saúde. "É um bebê de 10,2kg, medindo 74cm e não apresenta indícios de maus tratos. Só estava com muita fome e sede. Demos banho e alimentamos. O pessoal brincou bastante com ele", contou.
Tecnologia do Blogger.