Horta Comunitária: exemplo de superação da comunidade da Quadra 12



Antes, muito mato e todas as formas de sujeira, entre os mais agravantes, entulho e lixo doméstico. Hoje uma horta produtiva e transformadora de vidas. A Horta Comunitária localiza-se e na quadra 12 do bairro Morro Azul. A ideia surgiu quando uma moradora do bairro faleceu vítima de hantavirose, doença proveniente de ratos silvestres que vivem em área rural.

Tudo começou quando um antigo morador, Osmane da Silva e a moradora Hosana Alves, que juntos mostraram para a comunidade a importância do elo do trabalho coletivo. Trabalho que só traria avanços e melhorias para todos. Reuniram-se um grupo de moradores e dali começaram a retirar todo o mato e a sujeira do local. Todo o entulho juntado foi removido em parceria com a Administração Regional destinou o lixo para uma área própria e autorizou a implantação da horta.

“No início foi muito complicado, difícil de convencer as pessoas, mas no final deu tudo certo”, conta Hosana Alves sobre os obstáculos da consolidação da horta comunitária. Além de mostrar a indignação com o descaso do local pelo poder público, o projeto também serviu para aumentar a auto estima das pessoas e de que elas são também são responsáveis pelo local onde vivem.

Em princípio, muitas pessoas adotaram a horta e começaram a produzir alimentos, que antes eram comprados nos sacolões e mercados da cidade. Mas o tempo foi passando e hoje são poucas as pessoas que ainda trabalham na horta. Entre eles está o senhor Gonçalo. Ele é um dos mais animados com a horta e trata o trabalho com uma terapia.  O senhor José Luiz participa vivamente plantando e colhendo os mantimentos da horta. Enquanto isso o senhor Valcides é responsável por sair e bater de porta em porta, oferecendo os produtos da horta.

É nessa experiência que a líder comunitária e presidente a ONG Casa de Cultura e Educação Permanente de São Sebastião, Hosana Alves, que pretende executar um projeto da horta comunitária como forma de terapia para o grupo da terceira idade. Esse será o objetivo principal do projeto, com vista de ocupar o tempo dessas pessoas, que muitos são aposentados. O projeto está em fase de ajustes e logo que estiver tudo acertado, será implantado.

Casa de Cultura
A Casa de Cultura e Educação Permanente de São Sebastião (CCEP) é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 2005, conforme seu estatuto social. Ao longo de dez anos de trabalho, a instituição desenvolve projetos direcionados para um público diversificado – crianças, adolescentes e adultos em situação de risco ou não, bem como suas famílias, buscando promover a cidadania e o resgate da auto-estima, além do fortalecimento do sentimento de pertencimento comunitário. Para tanto, a instituição aposta e investe em projetos sócio-culturais e de geração de renda como forma de reduzir as disparidades de acesso aos bens socioculturais e desta forma causar impactos na comunidade, a médio e longo prazo.

A Casa de Cultura vem desde sua fundação atendendo a comunidade de São Sebastião com aulas de reforço escolar, rodas de leitura, oficinas de artesanato com vistas à geração de renda, o projeto da escolinha de futebol para crianças e adolescentes, a horta comunitária com a participação da terceira idade, dentre outros.

Os inúmeros trabalhos desenvolvidos até o momento contribuíram de forma crucial para a erradicação do analfabetismo entre jovens e adultos, para a minimização do fenômeno da violência e de suas formas mais contundentes, para a inserção dos jovens no mercado de trabalho mediante programas de estágio e do Jovem Aprendiz, para a formação de lideranças locais (grupos de discussão temática), para a promoção de eventos na área de cultura, educação e lazer, para o uso proveitoso e consciente dos espaços públicos e para a geração de renda via projetos de economia solidária e sustentabilidade e socioambiental – ações que só se tornaram possíveis a partir do intenso envolvimento da comunidade atuando de forma conjunta pela melhoria da qualidade de vida.
Tecnologia do Blogger.