São Sebastião, um vale de histórias

São Sebastião não tem lago nem rios largos, mas tem histórias de muito antes do surgimento de Brasília, desde o tempo da Fazenda Papuda, e tem uma cópia em tamanho reduzido da ponte imponente do Lago Sul.

O olhar vai muito longe quando se aproxima de São Sebastião, a cidade que nasceu do barro que ajudou a construir o Plano Piloto. Dentro do extenso vale, rodeado de serras, as ruas se enroscam em curvas, em aclives e declives. As casas transbordam da zona urbana para a zona rural até encostar nos condomínios que se dizem do Lago Sul, mas estão colados na cidade-satélite, lugar que surgiu dentro da Fazenda Papuda, que deu nome à maior penitenciária do Distrito Federal.

Na cidade do inacreditável Tião Areia , o  homem  que  já  ficou rico quatro vezes, que quatro vezes empobreceu, existe uma surpreendente rua, a 51, no Centro, que dizem ser a mais bela do lugar. A pequena via, de pista estreita, e não mais de 15 casas, é quase toda ajardinada. A calçada recebeu cuidadoso projeto de paisagismo, com variedade de arbustos e árvores de pequeno porte, meio-fio recém-pintado, trepadeiras revestindo os muros e árvores frondosas nas varandas das casas.

Deve-se a um mestre de obras, Manoel Pedro Moreira, o projeto de rua ajardinada. “Isso aqui é a vida dele, às vezes digo que ele gosta mais das plantas do que de mim”, conta Maria Joana, sua mulher. Quando se mudaram para São Sebastião, há mais de 25 anos, a rua era habitável. Não havia asfalto nem calçada. Logo que o asfalto chegou, Manoel Pedro tratou de ele mesmo fazer o meiofio, de ponta a ponta da rua. E em seguida, ajardinou a estreita calçada, de um lado e de outro.

Mas não foi fácil. No começo ele plantava algumas mudas e, no dia seguinte, elas desapareciam. Manoel Pedro não desistia, replantava tudo outra  vez. O movimento de planta,some, replanta durou até que as mudas nunca mais sumiram. A rua se diferencia tanto das demais que já virou referência. Quando é preciso dar um endereço, em vez de informar o número da rua, 51, disse: “É na rua mais bonita de São Sebastião”. Ninguém erra. Bela rua, belas crianças, lojinhas cheias de novidades, incríveis histórias, uma réplica da Ponte JK e muita luta para sobreviver à violência, às doenças, aos preconceitos, à falta de suficiente infraestrutura urbana.

São Sebastião já soma 100 mil habitantes e histórias que vão do passado mais remoto de Brasília ao futuro que se desenha colado aos condomínios que vêm do Lago Sul.
Tecnologia do Blogger.