Moradores de São Sebastião reivindicam melhorias no transporte coletivo


 Ônibus quebrados todos os dias, rodas e portas soltas, falta de bancos e de limpeza, atrasos e superlotação. Esses são alguns dos problemas que os usuários de transporte coletivo de São Sebastião enfrentam diariamente.

Os moradores, por meio de fotos, vídeos, campanhas educativas e até mesmo um abaixo-assinado, mostram indignação quanto à situação dos ônibus. Foi criado um grupo de discussão no Facebook, com cerca de 4.500 usuários, que debate esse e outros problemas da cidade.


Rangel Barboza, administrador e criador do grupo, conta que as mazelas do transporte público é o tema mais comentado no ambiente virtual. “É uma falta de respeito com a população e nós temos que reivindicar”, conta. Os moradores utilizam o espaço para relatar os problemas que enfrentam no dia a dia dos ônibus.

A artista plástica, Chibi, que utiliza o serviço com frequência, conta que os ônibus quebram diariamente e estão, em todos os horários, superlotados. “Não é difícil achar alguém que pega dois ônibus que quebram no mesmo dia. Já encontrei pessoas que pegaram quatro ônibus. Passamos todo o trajeto torcendo para que o carro aguente até o final. Isso quando não está cheio e o peso desgasta ainda mais o veículo”, afirma.

O universitário Eduardo Nunes, relata que usa o transporte com frequência há pelo menos um ano e meio, e desde então, não houve melhorias. Segundo ele, que mora próximo ao terminal de onde os ônibus saem vazios, em quatro paradas os veículos já estão lotados. “Ele [o ônibus] vai lotado, com problemas na transmissão, cheiro de disco de embreagem queimado. Isso é constante”. No entanto, de acordo com ele, o pior dos problemas são os atrasos.

Organizada por Rangel, uma campanha educativa tem sido feita na Rodoviária, alertando os usuários para que mantenham a fila e evitem o uso de alto-falantes no veículo.
Usando faixas e panfletos explicativos, jovens se disponibilizaram a sanar um outro problema, que é o acúmulo de pessoas nas portas dos ônibus, principalmente nos horários de pico.

Segundo passageiros, devido a demora e a quantidade de ônibus, algumas pessoas se cansam de esperar na fila e se amontoam nas portas dos carros. Grávidas, idosos e crianças acabam ficando para trás.

Além disso, um abaixo-assinado tem sido feito, de parada em parada, exigindo a resolução dos problemas do transporte público. O documento será entregue para o diretor do DFTrans, que, segundo Rangel, em reunião feita em janeiro deste ano, prometeu soluções para o caso.

O  DFTrans nega o conhecimento de quaisquer manifestações ou mobilização. O órgão afirma que o Governo do Distrito Federal trabalha para realizar a licitação para renovação de toda a frota, e assim, melhorar a qualidade do transporte público em todas as regiões.

Na última terça-feira (25), o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) derrubou a liminar que suspendia a licitação de novos veículos. Segundo a Secretaria de Estado de Transporte, a Comissão de Licitações do órgão que analisa os documentos, continua em processo de checagem dos registros entregues pelas empresas.

Tecnologia do Blogger.