Dono de chácara e corretores são presos por grilagem de terra no DF

Policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e a Ordem Pública (Dema) prenderam em flagrante nesta terça-feira (23) três homens suspeitos de parcelar e vender lotes irregulares em uma chácara na região do Incra 9, no Distrito Federal.

Dois homens eram corretores e o outro se apresentou aos policiais como dono e morador do terreno de 40 mil metros quadrados. Ele não apresentou documentos de propriedade da terra aos policiais mas disse que herdou o terreno do pai. Em outubro, dez pessoas já foram presas no DF por grilagem ou parcelamento irregular de terra, disse o delegado Richard Moreira.

Fiscais da Secretaria de Ordem Pública e Social (Seops), que participam da fiscalização de loteamentos irregulares junto com a Polícia Civil, encontraram faixas anunciando a venda dos lotes ao longo da DF-180.

Os 66 terrenos parcelados no loteamento Vista Bela tinham cerca de 500 m² de área. Cada lote estava sendo vendido por R$ 40 mil. A venda dos lotes renderia R$ 2,6 milhões ao grupo.

Em seu depoimento, o dono da chácara disse que estava desempregado e não tinha dinheiro para arcar com os custos de infraestrutura do loteamento e, por isso, convidou um corretor de Ceilândia para fazer as obras. Um muro estava sendo construído e algumas ruas já estavam parcialmente abertas. O corretor teria direito a 40% do valor de cada lote vendido.

O outro corretor  foi preso quando vendia os lotes. No carro dele, a polícia encontrou várias faixas de divulgação do empreendimento e um mapa com a divisão do terreno. O delegado informou que os homens vão responder por parcelamento irregular do solo e, se condenados, podem ficar entre 1 e 5 anos presos e pagar multa.

Moreira disse que atualmente as áreas de maior interesse dos grileiros no DF ficam em São Sebastião, Incra 9 , Altiplano Leste, Condomínio Sol Nascente e Ponte Alta do Gama. A polícia recebe denúncias de loteamentos irregulares pelo telefone 197.

Tecnologia do Blogger.