Ciclovia pede socorro


Sujeira causa acidente aos ciclistas
Inaugurada em abril de 2008, a ciclovia que aproximou São Sebastião da região do Jardim Botânico e Lago Sul completará 5 (cinco) anos, com muito pouco a comemorar.  A ciclovia foi projetada para atender a uma demanda significativa de ciclista da cidade, onde por dia passam mais de 500 ciclistas que utilizam a pista para se deslocar de casa para o trabalho e para o lazer. A ciclovia São Sebastião/ Jardim Botânico (da DF 463 a DF 001), possui 9 Km e custou R$ 750 mil.


No início a ciclovia contava com mais de 3 km ininterruptos, sem cruzamento ou obstáculos, ligando o bairro Morro Azul (São Sebastião) ao Jardim Botânico. Hoje a realidade é totalmente outra. Com a construção do bairro Jardim Botânico 3 e o Jardins Mangueiral foram feito várias rotatórias ao longo da rodovia DF 463, além de baias de acesso que danificaram e sujaram parte da ciclovia.

Á pouco tempo destruíram parte da ciclovia e não foi feito os reparos necessários, um grande perigo para os ciclistas. Dependendo da velocidade poderiam cair e acontecer um grave acidente. Depois de denúncias e reclamações foi feito uma espécie de tapa buraco na ciclovia, ao invés de ter reconstruído a parte danificada. O resultado é uma parte da ciclovia sem sinalização e pequenas depressões.

Desviando de barro e sujeira é essa a realidade que os ciclistas da cidade encaram todos os dias. Além desses problemas, a falta de sinalização e conscientização por parte de motoristas e pedestres atrapalha bastante. Por partes dos motoristas o desrespeito é nos cruzamentos. Nestes locais a preferência tem que ser dada ao ciclista. Quanto aos pedestres por falta de calçadas é comum vê-los usando a ciclovias como seu espaço, o que gera conflito e acidentes. Devido a característica não “hostil” de uma rua ou avenida, além do mais a bicicleta é mais silenciosa e difícil de percebida.

Além do cascalho, os ciclista disputa o espaço com os pedes
Outro grande problema é a ligação das ciclovias já dentro de São Sebastião, que não tem seu término antes de adentrar à cidade. Onde tem a maior concentração de ciclistas, a ciclovia não atende a comunidade. Isso dá a entender que a ciclovia não foi concluída ainda. Consultada a Administração Regional, afirma que há projetos para conclusão da ciclovia, ligando ao centro da cidade até o trevo para Unaí-MG rodovia BR 251.

Perguntado sobre a manutenção da ciclovia próximo ao Jardins Mangueiral, disse apenas que aquela área é de responsabilidade do Jardim Botânico, onde o mesmo respondeu que cabe ao DER-DF a manutenção e implantação de novas ciclovias.

O que observamos é que tivemos um pouco de avanço para essa modalidade tão saudável que é o transporte sobre bicicleta. Aos poucos as pessoas vão se atentando para o quanto este meio de transporte é ambientalmente saudável. Por outro lado, a inexistências de projetos para a criação de ciclo-faixas e ciclovias carece de mais atenção e agilidade. Conscientização dos motoristas da preferência nas vias e das pessoas sobre o uso do espaço, tem que adequar aos projetos de implantação de novas ciclovias. Somente assim teremos muito que comemorar!
Tecnologia do Blogger.