Revitalização da Avenida Comercial do Jardim Botânico vai sair do papel



No início de 2009, técnicos da Secretaria de Habitação já anunciavam o projeto de reorganização do estacionamento da Avenida Comercial do Jardim Botânico. Em reunião com a então gerente de Desenvolvimento da Área Sudeste, no auditório da Administração Regional da cidade, moradores e síndicos puderam conhecer a proposta.
Hoje, quatro anos depois, finalmente parece que a proposta vai sair do papel e se transformar em realidade, o que irá organização o caos que impera no local.
Na última sexta-feira (05/04), o Conselho de Administração do Fundo de Desenvolvimento Urbano do DF (Fundurb) aprovou R$ 3 milhões para implementação da urbanização e paisagismo na Etapa I do Trecho Comercial do Jardim Botânico.
As obras vão contemplar o estacionamento, com ampliação do número de vagas, construção de calçadas, pequena praça em frente ao shopping da cidade, faixa elevada para pedestre, paisagismo e reestruturação viária da Avenida Comercial.
Com o projeto aprovado e os recursos disponíveis, o Governo pode iniciar os procedimentos para licitação e contratação de empresa que irá executar a obra.
O caos que impera nas Avenida Comercial do Jardim Botânico apresenta dois grandes problemas: a falta de estacionamento, o que se traduz em carros parados e qualquer lugar, transitando até na contra-mão, e a falta de espaço para carga e descarga. “Enormes caminhões fazem descarga em qualquer lugar, atrapalhando o trânsito. Não sei como ainda não aconteceu um acidente sério por aqui. Muita gente de freqüentar o comércio daqui pela confusão que é transitar nesta avenida”, disse uma moradora.
Para a comunidade conferir:
De acordo com o projeto apresentado à comunidade, em 2009, cuja previsão era o início das obra em 60 dias – a tempo de ficar pronto para o Natal daquele ano - , o novo estacionamento vai contar com 717 vagas, sendo 162 no Pólo Verde, 25 para carga e descarga, 9 para táxi, 30 para motos e seis para portadores de necessidades especiais.

Tecnologia do Blogger.