São Sebastião sofre com a falta de água.



Há quase dois meses, os moradores de São Sebastião convivem com a difícil rotina de ficar sem água. O motivo, segundo a Companhia de Abastecimento (Caesb), é que a distribuição está sendo prejudicada pelo alto consumo, o desperdício e por ligações irregulares.

A situação ficou ainda mais grave nos últimos dias. Agora, de acordo com a população, a água estaria poluída. Quando abrem as torneiras, contam os moradores, é comum sair um líquido barroso, que impede o consumo e atrapalha a rotina. “Volta e meia a água está ficando marrom. Quando não falta, vem assim. Por dia, temos desembolsado pelo menos R$ 12 em água, porque não dá para ficar sem, então a gente compra”, relata o aposentado Juraci Francisco. 

Outro problema, de acordo com a população, é o valor da última conta de água. Segundo os moradores de São Sebastião, a soma estaria errada e apresenta consumo dobrado, o que não teria acontecido no mês de setembro. 

“Como é que a gente vai gastar mais água se ela falta quase todo o dia? Isso está errado. Normalmente, pago R$ 90. Neste mês, veio R$ 185. Nem sei como vou pagar isso. É absurdo”, reclama Demildes Daniele da Silva, 30 anos. 

 Mãe de três filhos, um deles com autismo, a dona de casa narra a saga dos dias sem abastecimento. “Para a minha filha de dois meses, sou obrigada a comprar água até para dar banho. Meu filho de sete anos é autista e ele tem mania de banho. É complicado fazê-lo entender que não vai dar porque não tem água. Não dá para viver bem faltando água todo dia e, quando a gente liga na Caesb, eles dizem só que estão fazendo racionamento aqui”, disse.

Cor do líquido causa revolta 
Os moradores das vilas São José e Nova, de São Sebastião, ficaram de sexta até ontem com a água suja. No Facebook, alguns chegaram a postar fotos mostrando a cor do líquido, chamando a situação de “crítica”. Sem poder consumir o que saía das torneiras, o jeito encontrado foi comprar água por iniciativa própria.

“Vendi muito. Acho que 50% das vendas de sábado e domingo foram só de água. Nem eu bebi aquilo. Eu estava consumindo a água da loja também, porque dá medo ingerir um negócio desses”, conta José Ronaldo, 46 anos.
Segundo a Caesb, “o baixo nível dos reservatórios afeta a coloração da água”, por isso, ela está marrom. “Estamos fazendo uma obra de reforço de tubulações para levar parte da água da adutora do Jardim Botânico até o local. A obra está prevista para terminar em 30 dias”, informa. O órgão solicita aos moradores que, na medida do possível, façam uso racional da água para facilitar a recuperação do sistema. A companhia afirma ainda que todo imóvel com ligação de água deve ser dotado de reservatório com capacidade para um dia de consumo.

 Ontem, um caminhão a serviço da companhia estava na Vila São José. Uma retroescavadeira era usada para ajudar a fazer a manutenção de um cano quebrado nas ligações do sistema.



Tecnologia do Blogger.